quinta-feira, 24 de abril de 2014

Completas-me

São 3 da manhã e a escuridão consome o quarto. O silêncio que nos rodeia é quebrado pela tua ritmada respiração. Não consigo dormir e resolvi tomar o maior calmante de todos, tu. Abro os olhos e fixo a escuridão na direcção do teu rosto. Aos poucos adapto-me e começo a desvendar os teus traços. És linda, tão linda que nem o escuro consegue fazer face a isso. A minha mão corre o teu rosto e contorna as tuas linhas. Balbuciaste qualquer coisa e voltaste ao silêncio. Foi incompreensível, mas soltou-me o sorriso parvo de quem só sabe amar. Tudo o que dizes é bonito, tudo o que fazes é divinal. Após contornar-te o rosto desço pelo pescoço, pelo ombro e pelo teu dorsal. Sentir a tua pele macia é motivo de desejo, de querer e satisfação. Amo tudo em ti, cada traço teu, tão fino e elegante. A minha mão vai descendo e perde-se por entre o lençol. Pára na tua cintura. Sinto o teu despertar, sei que me olhas naquela escuridão. É nisto que somos diferentes do resto, o que mais ninguém consegue ser. Trocamos olhares sem nos vermos, tão certo quanto amar-te. A escuridão não separa o nosso desejo e sinto-te cada vez mais perto. A tua respiração é ofegante e próxima, cada vez mais próxima. Subitamente, os teus lábios circulam os meus, o teu nariz toca no meu e finalmente os lábios confrontam-se. Uma vez juntos, demoram a largar. Sempre foi assim, sempre o será. Essa é a minha vontade, tu és o meu desejo mais profundo.
Os corpos unem-se, como se fossem ímanes. Somos dois pólos opostos condenados à junção. Somos aquela força magnética que não se liberta facilmente, que resiste até à maior das forças. Tu és o meu sul e eu, contigo, perco o (meu) norte. Estou destinado a ser teu, infinitamente teu. Enrolamo-nos no lençol e conquistamos o silêncio, ao som de gemidos. A visão torna-se um sentido inútil. Sei de cor cada pedaço teu, já o decorei faz tempo. Fecho os olhos e vejo-te, sempre foi assim, sempre o será.
São quase 4 horas da manhã e daqui a nada o sol nascerá outra vez. Abraço-te carinhosamente e deixo-te encaixar no meu peito. Este é o lado perfeito da vida e não há como substituí-lo. Enquanto ouvir a tua respiração, serei sempre teu.

2 comentários:

  1. Bom dia Tiago.. Cheguei ao seu Blog pelo comentário que deixou no meu..rs Primeiro obrigada pelas palavras as quais já agradeci lá também..e segundo, poxa..que texto divino! Vc conseguiu me prender por poder imagina a cena. Gosto disso. E como vc, sou intensa por demais..rs Adorei cada palavra.
    Será sempre muito bem-vindo ao Reticências.

    Grande beijo,
    http://www.reticenncias.com.br/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado pela visita e pelas bonitas palavras, Katiane!
      Beijo!

      Eliminar