quinta-feira, 3 de abril de 2014

Quando um amo-te é pouco para tudo o que sinto.

Amo-te. É tudo o que tenho para dizer e tudo o que te sei dizer. Não me canso de pronunciar esta palavra tão pequena para tão grande sentimento. Tu chegas a casa, tiras o casaco e desapertas a gravata. Pousas a pasta e dás-me um beijo. Sei todos os teus movimentos, decoro todas as expressões.O meu coração sossega e sei que o dia começa à hora que tu chegas. É tão bom ter-te em casa, sentir o carinho que sempre tens para me dar. Sabe bem ser tua, sabe ainda melhor fazer-te meu. Um dia talvez consigam inventar outras palavras que se equiparem ao que sinto por ti. Até lá, terei de repetir este amo-te várias vezes, até ao limite do ridículo, até à exaustão. Sei que não me cansarei de o dizer e espero que não te canses de o ouvir. Adoro ver o teu sorriso pela manhã, ao meu lado, com aquele teu ar estremunhado. Mais tarde, após um dia cansativo, sabe ainda melhor receber-te nos meus braços, enquanto recuperas o fôlego do desgaste laboral. O sofá dá-nos o merecido descanso, a cama o perfeito deleito. Sou tua, desde a primeira vez que entraste em mim, desde a primeira vez que me tornaste tua. Meu amor, que o amar não acabe porque para mim ele escreve-se com o teu nome.

Sem comentários:

Enviar um comentário