segunda-feira, 5 de maio de 2014

Amar é sentir com toda a imprevisibilidade

Pediram-me para definir o amor. Não sei, não posso nem ouso defini-lo. No meu entender, é o amor que define as pessoas. O amor move montanhas, faz-nos enfrentar o impossível e dá-nos a estúpida sensação de perfeição. É o sentimento que faz o Homem escrever o seu nome na História. O amor é o livro da vida. 
O amor magoa, despedaça e marca. Percebo que haja medo de amar. Mas o Homem sonha, reergue-se e luta. Então porque não amar? Amem, lutem pela vossa felicidade e vão onde o vosso coração vos quiser levar. Só ele tem asas neste mundo de acorrentados. Deixem o vosso coração voar para as mãos de alguém. Quando esse alguém o soltar, não se preocupem, haverá outro alguém, de mãos abertas, à espera. Deixem o tempo traçar o caminho. O coração saberá lá chegar. Amor é sentir borboletas no estômago, amar é o efeito borboleta: todos nós estamos interligados e, ao ritmo da magia da vida, nunca saberemos em que braços iremos calhar. Hoje desdenho-te, amanhã o meu coração pode ser teu.
O que é amar, perguntam-me vocês, não sei. Amar é sentir com toda a imprevisibilidade, amar é viver.

2 comentários:

  1. Sei que definir Amor, e amar deve ser uma das coisas mas complexas de se tentar fazer, afinal para cada um de nos essas palavras tem significado diferente e nos as sentimos de um jeito muito pessoal que não dá para explicar ou transcrever. Mas amei a forma como você tenta faze-lo, porque realmente "amar é o efeito borboleta", pelo menos é assim que eu penso, e apesar de nos magoarmos e muitas vezes acreditarmos que nunca mais vamos encontra-lo de novo, aparece alguém que nos ajuda a juntas os cacos, e antes que percebamos estamos de volta nessa montanha-russa que é se apaixonar e amar alguém.
    Adorei seu texto Tiago!!

    Beijoos
    Carolina Campbell (http://www.desaparicoes.com/)

    ResponderEliminar
  2. Muito obrigado, Carolina!
    É verdade, o amor é algo tão estranho e tão bom.. não dá mesmo para explicar.
    Serás sempre bem recebida! Sente-te em casa!

    Beijos,
    Tiago

    ResponderEliminar