segunda-feira, 26 de maio de 2014

As estrelas sorrirão para nós

Sinto-te triste, desanimada e de olhar derrotado. Sinto-te distante da tua vivacidade e cada vez mais descolorida. Não deixas de ser bela, aliás, os meus olhos nunca aceitariam ver-te de outra maneira que não seja em amor. Mas dói ver-te assim, despedaçada, carregando o peso do mundo e vergastada por todos os castigos de uma vida. Não sei se choras todas as noites, se rezas a todos os Deuses por melhores dias ou se simplesmente engoles as lágrimas que vertes e resolves os problemas que crias. És um rosto belo, um coração estragado e um destroço de guerras passadas. Ninguém disse que a vida é fácil, muito menos perfeita. Mas tem de ser suportável e quero suportar o peso dos teus erros, suportar o peso do teu corpo, fraco e debilitado, suportar as marcas do passado e levar-te lá acima, junto das estrelas. Aquelas que tu olhas quando choras, a quem tu pedes força e melhores dias. As que acreditas serem os olhos que te vêem e alguém que te protege. Essas estrelas choram contigo, sabes disso. E eu quero ser tudo isso, quero mostrar-te o quão brilhante és. Para mim, és labareda que não se apaga e acredita, lá em cima, do espaço, as estrelas invejam-te e pedem para serem como tu. E por mais anos e anos que vivam, nunca o serão, nunca enfrentarão o universo de problemas que tu enfrentas. Quando quiseres ir tocar nas estrelas, dá-me a mão, quando quiseres solução para os problemas, aceita-me ao teu lado. O nosso amor está escrito nas estrelas e elas sorrirão para nós.

Sem comentários:

Enviar um comentário