segunda-feira, 26 de maio de 2014

Quero

Quero ir, quero estar onde não estive e ser o que nunca fui. Quero viajar, conhecer quem nunca conheci, apaixonar-me por quem odiava, quero sentir as emoções que neguei e os prazeres que nunca saboreei. É tudo isto que eu quero e que me faz gritar no silêncio, tapar os ouvidos no meio da confusão e deixar o coração rebentar, expulsando de mim um amor frio, um sangue seco que já não corre. Quero ter o sangue a fervilhar, a correr-me pelas veias, sentir o seu passar e o seu calor, quero amar com o coração, não usá-lo como escudo para os problemas. Tenho saudade de enfrentar o mundo de peito feito e não virar as costas à felicidade. Sou sangue escuro que me corre nas veias, sou sangue pisado de amores passados. Este sou eu, morrendo para viver tudo o que for meu, por direito.

Sem comentários:

Enviar um comentário