domingo, 17 de agosto de 2014

A chamada desligou-se e nada mais foi dito. Pela primeira vez ela achava que a distância iria fazer bem, dando verdadeiramente a conhecer as intenções e os sentimentos. Se não se contivesse iria dizer-lhe que não queria mais por causa do medo, do amanhã e da dor que podia trazer. Mas, por outro lado, a seguir iria pedir-lhe perdão e implorar-lhe, de joelhos, por um regresso, por uma luta a dois. As lágrimas escorriam pela face, abundantemente e aos pares, em simultâneo. Uma escorria porque temia, a outra escorria porque não queria ficar por aqui.

2 comentários: