segunda-feira, 13 de outubro de 2014

Hoje escrevo porque estou feliz:

sinto a chuva, o frio e o cinzento
vejo o triste dia bater-me à porta,
é a saudade, a dor e o lamento.

Então deixo entrar as memórias que me restam
dar-me a conhecer do jeito que sou,
guardo apenas as que não prestam,
as boas já as vivi e o vento levou.

E sinto-me feliz hoje, não sei se sabem,

porque cheira a mágoa, solidão e chora o céu
sinto saudade do que não tenho,
imagino aquela mulher, as juras e um véu...

E o sofrimento de um amor despedaçado
é representado em noites e temporais
eu escrevo feliz e despreocupado,
gosto de sofrimento, chuva, dor e nunca mais...

Hoje escrevo dono da felicidade, 
o meu choro inundou a rua.
Mas que prazer me deu chorá-lo
porque essa rua também é a tua.


Sem comentários:

Enviar um comentário